Empresas precisam se preparar para os perigos da Internet

AddThis Social Bookmark Button

Artigo baseado em entrevista de Diego Bonnel da QUALITTÁ Comunicação Empresarial para a revista Informe SindLoc (SP) com Renato Fridschtein do site www.medamais.com.br.

No atual mercado é muito difícil uma empresa sobreviver sem estar informatizada e conectada à Internet. Isso cria uma dependência e também a expõe aos riscos e armadilhas que circulam diariamente pela rede.

“Os empresários precisam se conscientizar de que os funcionários que trabalham nos computadores têm de ser treinados e alertados sobre as possíveis tentativas de fraudes”, afirma Renato Fridschtein, consultor de marketing especializado em Internet.

As pequenas empresas devem ficar atentas, pois, diferentemente do que a maioria imagina, não só as grandes organizações são alvos dos piratas da Internet, conhecidos como hackers.

Diariamente as caixas de correio eletrônico são bombardeadas por mensagens não solicitadas, os chamados spams, que são, em sua maioria, propagandas. “A lógica é simples, pois se a cada dia mais mensagens são enviadas é sinal que as pessoas dão retorno e acabam caindo”, diz Fridschtein.

Com o passar do tempo e com a popularização da Internet os spams se transformaram em Phishing, termo inspirado no verbo Fish (pescar), porém escrito com “PH”. “São mensagens que parecem uma coisa, mas não são. Os hackers criam plataformas visuais que se igualam às de reconhecidas empresas, órgãos governamentais, entidades de proteção de crédito etc.”, conta o especialista.

É um tipo de golpe que se difere dos conhecido vírus, que exigem alto conhecimento técnico para serem desenvolvidos. O phishing, segundo o especialista, é relativamente simples de ser criado e a lógica é outra. “O criador atinge a fraqueza da vítima. Caso quem receba tenha consciência que, por exemplo, passou um cheque que poderia ser devolvido e recebe um e-mail dizendo que seu nome consta na lista de proteção de crédito, é provável que ele clique no link enviado e tenha seu computador atingido”, diz.

Os especialistas nomearam essa questão de ataques de engenharia social. O termo alerta para a necessidade de que as pessoas que trabalham ou têm acesso à informática tenham consciência dos riscos que correm e de como identificar as tentativas de fraudes.

Nota de atualização: no artigo Cuidado com o software do mal você pode ler mais algumas informações sobre este interessante assunto. Nele apresento três programas para se proteger.

Copyright © 2007, Renato Fridschtein. Todos os direitos reservados.